Resenha- Destino



Livro: Destino
Autora: Ally condie
Editora: Suma das Letras
Titulo original: Matched
Data de lançamento nacional: 2011
Número de páginas: 268

sinopse
Cassia tem absoluta confiança nas escolhas da Sociedade. Ter o destino definido pelo sistema é um preço pequeno a se pagar por uma vida tranquila e saudável, um emprego seguro e a certeza da escolha do companheiro perfeito para se formar uma família. Ela acaba de completar 17 anos e seu grande dia chegou: o Banquete do Par, o jantar oficial no qual será anunciado o nome de seu companheiro. Quando surge numa tela o rosto de seu amigo mais querido, Xander - bonito, inteligente, atencioso, íntimo dela há tantos anos -, tudo parece bom demais para ser verdade.Quando a tela se apaga, volta a se acender por um instante, revelando um outro rosto, e se apaga de novo, o mundo de certezas absolutas que ela conhecia parece se desfazer debaixo de seus pés... 

resenha
A minha relação com este livro não foi a das melhores...
 Cassia é uma jovem que anseia fazer 18 anos, aonde acontecerá o seu banquete de par, no qual será designado um par para ela. Desde muito nova ela sonha com isso, e agora chegou a hora. Mas lá uma surpresa depois de um pouco de suspense, é revelado o rosto de sua "alma gêmea" mas não há nenhuma surpresa no escolhido. Ele é Xander, seu melhor amigo.
 Na volta para casa, ela decide verificar o seu cartão, no qual constam todas informações de seu par. Não que seja preciso. Ela e Xander se conhecem muito bem. Sabem tudo sobre o outro, mas mesmo assim decide ver. E agora sim, a surpresa a toma, junto com o desespero. No cartão não está o nome de Xander, mas sim de seu outro amigo. Ky. O misterioso vizinho e amigo queto que nunca se abriu com alguém. Com este erro, da sociedade, Cassia começa a notar mais neste estranho jovem, e a duvidar de seus próprios sentimentos...
 Deixem-me explicar o que eu quis dizer naquele primeira frase. Já faz algum tempo que eu vinha tentando concluir este livro, eu comecei a lê-lo depois de Cidade de Vidro, mas desisti quando chegou O Filho de Netuno. Então depois de alguns meses, voltei a lê-lo com a promessa que o terminaria, sendo que o li antes de Cidade dos Anjos Caídos, coincidência ou não, o terminei e aqui a minha opinião sobre ele.
 O livro segue um ritmo muito muito calmo, e é aí que você parecia ter forças para continuar, são muitos detalhes e isso acaba irritando um pouco (pelo menos comigo foi assim), a autora se concentrou demais nos pensamento de Cassia, e isso deixa o livro sem ação e se graça, que não dá vontade de seguir com a leitura. Neste livro a sociedade é bem explorada, e é tipo um Big Brother real 365 dias por ano, ela vigia seus moradores o tempo todo, observando seus atos e fazendo joguinhos com as escolhas. é uma distopia, na verdade esta foi a primeira distopia oficial que eu tinha começado a ler.
A leitura como eu já disse demora muito, e cada vez que eu começava a ler me dava sono. A narração é em primeira pessoa do ponto de vista de Cassia e isso irritou em alguns momentos a personagem tinha flashbacks e só depois que ela começava a contar é que sacavamos que era no passado, ao decorrer do livro fica bem mais fácil de identificar... A capa é bonita, simples e discreta, mas que ao mesmo tempo chama atenção pela esfera com uma garota dentro.
 Os personagens na minha opinião são irritantes, Cassia vivia em seu próprio mundo com seus próprios problemas individuais, igualmente a Ky que me deixava com vontade de dormir cada vez que aparecia na história e Xander bem se autora queria fazer um triângulo amoroso, deveria ter explorado este personagem melhor.
 E quando parecia que o livro finalmente iria ficar bom, simplesmente termina. O final nos prende um pouco mais, mas não foi o bastante para eu dizer que gostei dele. Então o meu conselho é: se você está procurando uma distopia que explique tudo e não deixa escapar nada este livro é para você. Mas se você é igual a mim e não te tanta paciência com livros parados, fuja, já outras distopias mais interessantes, eu realmente não sei se lerei a continuação. E agora o único elogio em toda a resenha: fiquei curiosa com o final...

"(...)Agora eu quero tudo. Mais e mais e mais. Quero escolher meu trabalho, casar com quem eu escolher. Comer torta no café da manhã e correr numa rua de verdade, não num rastreador. Ir rápido quando quiser, e devagr quando quiser. Decidir quais são os poemas que eu quero ler e quais as palavras que quero escrever. Há tanta coisa que eu quero. Sinto isso com tanta intensidade que sou água, um rio de quereres, recolhido na forma de uma garota chamada Cassia." (pág.196)

Bjsss, Manu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Não xingue nem ofenda sem sentido
- Não aceito ''Seguindo segue de Volta?'' APENAS se tiver um comentário com ligação com o Post
- Deixe o link do seu blog, queremos visita-lo
- Sem spans ou correntes
Obrigada ♥